Escreva para pesquisar...

Treino de Ombros Treino de Trapézio

Remada alta para ombros e trapézio, Veja como fazer!

Aprenda o que é, para que serve e como  fazer corretamente a execução da remada alta e suas variações com barra, halteres e na polia do crossover. Conheça técnicas avançadas para melhorar os resultados.

Na musculação existem diversos exercícios que podem ser utilizados para poder trabalhar os diferentes grupos musculares, porém saber como utilizá-los faz toda diferença para conseguir resultados mais contundentes.

Sendo que, muitos exercícios, quando mal executados, além de terem sua eficácia comprometida, ainda podem aumentar as chances de lesão.

Dessa forma, um destes exercícios , que é muito discutido é a remada e este artigo busca explicar os  principais músculos trabalhados neste exercício, execução correta, cuidados e exemplos de variações.

Músculos trabalhados

Durante a execução da remada alta, os principais músculos ativados são o deltoide na sua porção lateral, assim como o trapézio.

Também há ativação do bíceps braquial, braquial e braquiorradial, pois também há flexão de cotovelo no movimento.

Execução correta da Remada alta

Clique aqui para se inscrever e receber nossos vídeos no Youtube que vão te ajudar a ter melhores resultados!

Uma execução correta na remada alta é essencial para trabalhar de forma mais efetiva os músculos alvo, sendo assim, abaixo será mostrado um passo a passo de como realizar este exercício de maneira correta.

1. De pé, com a barra nas mãos, com a pegada pronada e mãos na mesma linha dos ombros

2.  Puxar a barra para cima até os cotovelos estarem mais ou menos na altura dos ombros.

3. Descer de maneira controlada até retornar a posição inicial.

4. Repetir o movimento pelo número de vezes previamente estipulado.

Cuidados

A remada alta é um exercício considerado lesivo por muitos, levando em consideração que ao não tomar certos cuidados ao efetuá-la, pode sim aumentar os riscos de haver uma lesão.

Por isso, para tornar o exercício mais seguro é necessário tomar alguns cuidados, como por exemplo:

  • Não levantar demais os cotovelos

 Um dos principais e mais arriscados erros de quem realiza a remada alta é puxar a barra de forma que os cotovelos ultrapassem muito a linha dos ombros.

Efetuar o exercício deste modo pode levar a lesões no manguito rotator, principalmente se a pessoa tiver uma lesão pré existente.

Sendo assim, é importante subir os cotovelos somente até a altura dos ombros ao efetuar o exercício para assim efetuá-lo com mais segurança e menor risco de lesões.

  • Manter o punho em posição neutra

Realizar o movimento de flexão do punho durante a realização da remada alta coloca uma sobrecarga muito grande sobre a articulação.

Dessa forma, o correto é manter os punhos firmes durante a execução do exercício, para assim realizá-lo com menores chances de lesão.

  • Evitar se “balançar” durante o exercício
eBook Grátis 7 Suplementos que Funcionam

Muito comum que muitos praticantes de musculação cometam este erro ao utilizar cargas elevadas com as quais não consigam realizar o movimento com a técnica adequada e terminem compensando jogando o corpo para trás.

Porém, ao realizar este movimento compensatório há uma sobrecarga na região lombar que pode levar a dores e desconfortos na região.

Variações

Assim como muito exercícios há diversas maneiras de efetuar a remada em pé, para variar o estimulo e adaptar também as necessidades de cada individuo.

Sendo assim, abaixo serão mostrados alguns exemplos de variações da remada alta.

Remada alta com halteres

O exercício pode ser efetuado com halteres, o qual pode permitir maior liberdade de movimento articular ao praticante.

A remada com halteres pode ser realizada da seguinte maneira:

1. Segurar um halter em cada mão, com a pegada pronada.

2. Flexionar os cotovelos e elevá-los até a altura do ombro.

3. Descer de maneira controlada até os braços estarem na posição inicial.

4. Realizar o movimento pelo número de repetições estipulada.

Remada alta na polia

A vantagem de executar a remada alta na polia é que haverá uma tensão muscular constante.

Sendo assim, o passo a passo para realizar este exercício é o seguinte:

1. Colocar a polia em posição antes de realizar o exercício, esta deve estar na posição mais baixa possível.

2. Colocar uma barra reta na polia e segura-la com pegada pronada.

3. Flexionar os braços, levantando os ombros até estes estarem na mesma linha dos ombros.

4. Retornar lentamente a posição inicial.

5. Repetir o movimento até chegar ao número de repetições desejado.

Remada alta no Smith

Efetuar o exercício no Smith pode não ser recomendado por não permitir uma maior liberdade articular ,o que pode sobrecarregar a articulação do ombro.

Porém, praticantes mais avançados que não tenham problemas no ombro podem efetuar o movimento desde que tomem cuidados na execução para tornar o movimento mais seguro.

Sendo assim, a maneira correta de efetuar a remada alta no Smith é:

1. Posicionar a barra do Smith mais ou menos acima da altura dos joelhos.

2. Segurar a barra, com as mãos na mesma linha dos ombros e com pegada pronada.

3. Elevar a barra trazendo os cotovelos até a linha dos ombros.

4. Descer lentamente até retornar a posição inicial.

5. Realizar o exercício até atingir o número de repetições estipulado.

Como potencializar o exercício

Para aumentar a intensidade no exercício, algumas técnicas ou métodos podem ser utilizados para quebrar platôs em indivíduos mais experientes na musculação.

Sendo assim, alguns exemplos de técnicas que podem ser utilizadas na remada alta são:

  • Superslow

Esta técnica consiste em realizar cada repetição com uma cadencia mais acentuada, aumentando o tempo sob tensão no músculo.

Dessa forma, utilizar o superslow na remada alta é uma boa opção para aumentar o grau de dificuldade na sua execução e trabalhar de maneira mais intensa os grupos musculares alvo.

  • Repetições parciais

Para levar o músculo além da exaustão muscular e estimulá-lo a hipertrofia o método das repetições parciais pode ser utilizado..

O método é caracterizado pela execução de um número estipulado de repetições até a falha, para depois serem realizadas mais algumas repetições, porém com amplitude reduzida.

Concluindo

A remada alta é muito criticada e às vezes condenada por muitos, porém pode ser uma boa ferramenta quando bem utilizada, sendo necessário avaliar a aptidão de cada individuo, antes de prescrever o exercício.

Dessa forma, um profissional de Educação Física deve ser consultado antes de realizar qualquer exercício, para assim contar com uma prescrição e orientação de acordo com as necessidades de cada pessoa.

Lembrando que a saúde e qualidade de vida sempre estão em primeiro lugar na prática de exercício físico.

Bons treinos! 

Victor Hugo R. F. de Oliveira

Profissional de Educação Física formado em licenciatura pela UNIME e Bacharel pela FSBA. CREF: 010586-G/BA

  • 1

Você pode gostar também

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *