fbpx

Escreva para pesquisar...

Treino de Peito

Supino: Reto, Inclinado e Declinado – Execuções e Músculos trabalhados

Quer aproveitar melhor o exercício supino e ter resultados surpreendentes? Então veja agora esse guia completo onde você irá aprender a execução correta, os músculos mais solicitados e as variações do exercícios. Ao final dicas de como aumentar a intensidade do exercício.

supino retoO exercício preferido dos frequentadores de academias de musculação em geral, parâmetro de força para muitos. Todos querem peitorais hipertrofiados e definidos e, portanto o supino reto é o exercício onde será possível utilizar a maior carga, gerando maior tensão nos músculos.

Músculos ativados

Durante o supino reto são duas as principais articulações envolvidas na realização do movimento, sendo estas as do ombro e do cotovelo.

O ombro realiza o movimento de flexão horizontal e dessa forma são recrutados o peitoral maior e o deltoide anterior durante este movimento.

O tríceps braquial também participa do movimento, pois também há uma extensão de cotovelo na parte concêntrica do movimento.

Segundo Catalyud e colaboradores (2014), o músculo mais recrutado no supino reto é o peitoral maior e também há participação do deltoide anterior e tríceps braquial no processo.

Para melhor compreensão listamos abaixo os resultados da pesquisa (CATALYUD et.al. 2014) o percentual de ativação muscular, junto com uma escala de 1 a 5 para melhor compreensão da participação dos músculos neste exercício.

Músculos

MIVC (%)

Escala (1 a 5)

Peitoral maior

52,91

5

Deltoide anterior

44,18

4

Tríceps braquial

22,97

3

MIVC sigla em inglês para movimento de contração isométrica voluntária; os valores de MIVC referem-se a 85% de 1RM (repetição máxima).

Execução e postura correta do Supino Reto

Uma boa execução e postura durante o exercício garantirão um melhor aproveitamento e rendimento durante os treinos, e manterá longe as lesões, com este objetivo listamos abaixo um passo a passo para realizar o exercício e a postura correta durante o exercício.

1. Deitado no banco, com a coluna bem apoiada, porém respeitando as suas curvaturas fisiológicas e os pés bem apoiados no solo, segurar a barra com uma medida um pouco mais aberta que a largura dos ombros.

2. Retirar a barra do suporte e descer a barra de maneira controlada até chegar próxima ao peitoral, porém não deixar bater no peito.

3. De maneira controlada subir a barra até estender quase que completamente os cotovelos, lembrando que os pés devem continuar apoiados no solo e o tronco, também deve estar apoiado no banco.

4. Repetir o movimento até atingir o número estipulado de repetições e colocar a barra no seu devido suporte ao terminar a série.

Cuidados e contraindicações

Quase todo mundo pode se beneficiar da realização do supino reto durante o seu treinamento do músculo do peitoral, porém há certos cuidados que devem ser tomados para garantir um treino produtivo e sem lesões como:

1- Aquecer

O aquecimento é muito importante, pois prepara músculos, tendões e articulações para a carga de treinamento, aumentando o desempenho e evitando possíveis lesões.

2- Prestar atenção a distância da pegada na barra

Muitos praticantes de musculação acreditam que com uma pegada mais aberta irão recrutar mais o peitoral no supino reto, o que não sabem é que estarão colocando a articulação do ombro em um grande estresse, facilitando a ocorrência de lesões.

3- Retrair as escapulas

 Durante todo o movimento, as escapulas devem estar retraídas com a finalidade de estabilizar melhor a articulação do ombro, evitando assim o risco de desenvolver uma lesão.

4- Usar a pegada fechada

Muitas pessoas ao segurar a barra, não utilizam a pegada mais segura, a pegada onde o polegar envolve a barra, aumentando o risco de a barra escapar das mãos e ocorrer um acidente.

5- Manter os punhos neutros

 Ao segurar a barra, manter os punhos firmes, evitando que este se “dobre” para trás, sobrecarregando a articulação.

6- Evitar bater a barra no peito de maneira abrupta

 Ao realizar o exercício muitos permitem que a barra desça de maneira muito rápida e bata no peito.

O risco de lesões com este movimento aumenta à medida que a carga aumenta, o impacto pode levar até a fissuras na região do tórax.

Muitas pessoas podem possuir patologias ou condições com as quais seja necessária a adaptação do supino ou mesmo sua substituição como por exemplo:

7- Patologias associadas à articulação dos ombro

Algumas lesões no manguito rotador, nos tendões e até bursite, podem ter contra indicações com o supino dependendo do caso.

8- Patologias associadas à articulação do cotovelo

 Tendinite, epicondilite ou lesões nos ligamentos podem ser empecilhos ao realizar o supino reto e neste caso o exercício pode ser contra indicado.

9- Patologias associadas à articulação do punho

 Síndrome do túnel do carpo, osteoartrite e outras condições podem ser contra indicadas na realização do supino devido à dor e desconforto gerados ao tentar realizar o exercício, além de poder agravar a lesão.

Variações do supino

Para variar os estímulos ou adaptar o movimento, a maneira de realizar o supino pode ser modificada.

Listamos abaixo, algumas variações do supino reto.

Supino reto com halteres

Supino reto com halteres

Este exercício é bem parecido com o da barra, porém com a utilização dos halteres, há uma mobilidade articular maior, permitindo uma maior amplitude de movimento para estimular ainda mais o peitoral.

A desvantagem em relação a este exercício é que por ser mais instável, não é possível usar a mesma carga do que no supino reto.

Para realizar o exercício, o individuo deve deitar-se no banco, mantendo os pés bem apoiados no solo e a coluna apoiada no banco.

Deitado e com os halteres em mãos e próximos do peitoral, iniciar o movimento, estendendo ao máximo os cotovelos.

Supino reto na máquina (vertical)

Supino reto na máquina verticalAo realizar o exercício no aparelho, os músculos estabilizadores do tronco não necessitam ser tão ativados, pois o aparelho realiza a função de estabilizar o corpo, podendo focar mais nos músculos trabalhados no exercício.

Sentar no apoio do aparelho, deixando a coluna bem apoiada e os pés mantidos firmes no solo. Segurar o apoio do aparelho, iniciar o movimento com os braços flexionados e de forma controlada estender os braços completamente.

Supino inclinado com a barra

Outra variação do supino, onde o banco está em uma inclinação de 45 graus, nesta posição, o deltoide anterior é mais recrutado devido a inclinação, porém o peitoral maior é o principal músculo recrutado.

Deitar-se no banco, com os pés bem apoiados no solo e a coluna bem apoiada, segurar a barra, onde a distancia das mãos estejam um pouco mais afastadas da linha dos ombros, retirando a barra do suporte e flexionando os braços até a barra chegar próxima ao peitoral, depois estender os braços retornando a posição inicial.

Supino inclinado com halteres

Supino inclinado com halteres

O supino inclinado com halteres tem como mesmo objetivo de sua versão no banco reto, proporcionar uma mobilidade articular maior e aumentar a amplitude do exercício.

Deitar no banco inclinado sempre mantendo os pés bem apoiados no solo e a coluna no banco, iniciar o exercício com os halteres próximos ao peitoral e de forma controlada estender completamente os braços, retornando depois a posição inicial.

Supino declinado com barra

Supino declinado com halteres

Potencializando o supino reto

O supino reto é um exercício multiarticular, o qual recruta principalmente o peitoral, sendo uma grande ferramenta no ganho de massa muscular desta musculatura, por isso listaremos abaixo algumas dicas de como deixar seu treino mais produtivo e longe de lesões.

Priorize sempre a técnica

 Uma boa maneira de manter sempre um treino produtivo é estando atento a correta execução do exercício, dessa forma evitam-se movimentos compensatórios que mais tarde podem acarretar lesões.

Evite colocar cargas que não aguenta

Ao colocar carga em demasia, a postura e execução serão sacrificadas, aumentando o risco de lesões e diminuindo a produtividade do exercício.

Esteja atento a conexão mente-músculo

Sinta a contração e alongamento muscular durante o exercício, lembre-se que você está treinando o músculo do peitoral e não somente levantando pesos.

Cadencie as repetições

 Para melhor aproveitamento do supino, mantenha o controle do movimento durante toda a execução do exercício, dessa forma o músculo será mais bem trabalhado.

Os praticantes de musculação intermediários e avançados necessitam de determinados artifícios para aumentar a intensidade e variar os estímulos para continuar a progredir no treinamento, com este objetivo, listamos algumas técnicas para intensificar o supino reto.

Drop-set

 Realizar o exercício até estar próximo da sua falha concêntrica, diminuir a carga em 20% e depois novamente realizar as repetições até a falha muscular.

No supino reto lembre-se de realizar esta técnica com um parceiro ou seu professor para poder te ajudar e evitar acidentes durante a execução deste exercício.

Superslow

 Realizar o supino com bastante cadência, principalmente na parte excêntrica do movimento, deixando o músculo sob tensão por mais tempo, elevando a intensidade do seu treino.

Repetições parciais

 Após realizar o número de repetições estipulados, realizar mais algumas repetições com amplitude reduzida com a finalidade de gerar um estresse maior ao músculo.

Série 21

Muitos já escutaram ou realizaram esta série na rosca direta, porém também é possível realizar esta técnica no supino.

A técnica trata-se de iniciar realizando sete repetições com amplitude reduzida da parte inicial do movimento até a metade, depois mais sete com somente na porção final do movimento até a metade e por fim as sete últimas repetições com amplitude completa.

Esteja pronto para abaixar sua carga normal de treino, tendo em vista a dificuldade de esta técnica ser realizada no supino reto e lembre-se também de pedir ajuda ao seu professor para supervisionar este exercício.

Concluindo

O supino reto é um excelente exercício para aumentar a força e massa muscular, não é a toa sua fama entre os praticantes de musculação.

Um peitoral bem desenvolvido sempre será o objetivo de muitos que frequentam a academia, seja este iniciante ou mais avançado nos treinamentos.

Esteja sempre atento a sua execução e postura e na dúvida converse com seu professor de Educação Física, pois ele é o profissional capacitado para prescrever e orientar o seu treinamento.

Após este conhecimento mais profundo deste grande exercício é hora de ir à prática. Paciência, foco e disciplina e os resultados virão. Bons treinos!

Referências:
CATALYUD,et.al. Muscle activity levels in upper-body push exercises with different loads and stability conditions. The Physician and Sports Medicin, 2014

 


Veja também nossos artigos mais acessados:

Whey Protein – Você precisa ler isso!

BCAA – Para que serve e benefícios

Creatina – Qual a melhor? Veja lista

Termogênico – Saiba tudo!

Tribulus Terrestris – Veja 10 Benefícios [REVELADOS]

L Carnitina Emagrece? Funciona mesmo? [ATUALIZADO]

Melatonina – O que é, para que serve [ATUALIZADO]

ZMA – O que é e para que serve [TUDO REVELADO]

Glutamina – O que é e para que serve [Veja 11 Benefícios]

Suplementos Alimentares: O que são e para que servem

Orlistat – O que é e para que serve [ATUALIZADO]

Treino de Musculação para Hipertrofia – [21 DICAS]

Maca Peruana: O que é, Para que Serve, Benefícios e Como tomar


Equipe Grande Atleta

Nossa equipe está muito bem representada por grandes profissionais ligados a musculação e esportes de alto rendimento. Contamos com Educadores físicos, Nutricionistas Esportivos, Fisioterapeutas e Médicos.

  • 1

Você pode gostar também

2 Comentários

  1. KELLVEN CLEYTON SILVA SANTANA 29 de abril de 2019

    Muito bom o seu site, linguagem de fácil entendimento, porém bem técnico, estão de parabéns.

    Responder
    1. Equipe Grande Atleta 2 de maio de 2019

      Obrigado KELLVEN. Volte sempre para acompanhar nossas atualizações. Não esqueça de seguir nossas redes sociais.

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *